Felipão encerra o ‘Maior São João do Mundo’ em grande estilo

  •   20/06/2017
  •   Assessoria de Imprensa
  •   Música


Contagem regressiva para o show do cantor Felipão no ‘Maior São João do Mundo’. O forrozeiro passa por Campina Grande, no domingo, dia 02/07, para fechar em grande estilo o último dia da maior festa junina do país.

Na mesma noite, se apresentam também a dupla Fernando e Sorocaba, o cantor Luan Estilizado e o Tribo Cordel.

Os shows no Parque do Povo, no São João de Campina Grande, acontecem de 02 junho a 02 de julho e recebe nomes como Wesley Safadão, Marília Mendonça, Vicente Nery, Aviões do Forró, Maiara e Maraisa, Henrique e Juliano, Luan Santana, Simone e Simaria, Dorgival Dantas e muito mais.

Sobre Felipão

Ele foi ícone do forró nos anos 2000. Ficou conhecido pelo seu rebolado, seu chapéu inseparável e sua batida particular, até então inovadora no mercado forrozeiro. No auge do sucesso, decidiu abandonar tudo para ficar mais tempo com a família. “Eu tinha uma casa e não morava nela, tinha um carro e não andava nele, no dia do nascimento da minha filha tive que sair correndo do hospital porque tinha show. Além disso, bebia demais para suportar a saudade de casa.” Esses foram alguns dos fatores que contribuíram para a minha decisão de largar tudo”, afirma Felipão. Logo depois, se congregou à igreja evangélica. Sendo um cantor conhecido, era natural que, entre um testemunho e outro, o público cobrasse dele músicas dedicadas a Deus. A partir daí, engatou com êxito no cenário musical gospel, gravou CDs e DVDs, escreveu dois livros e se engajou em missões humanitárias em presídios, comunidades carentes, entre outros.

Felipe Aragão Gurgel, ou Felipão, como é mais conhecido, nasceu em Campina Grande, na Paraíba, em 1983. Ainda criança, mudou-se com a família para Fortaleza-CE. Descobriu a paixão pela música aos 16 anos e tem no currículo o vocal das bandas Aviões do Forró – foi o primeiro vocalista do grupo -, Sonhadores do Forró, Nação Forrozeira, Retorno do Forró e Zabumbada. Depois de um tempo, decidiu junto com dois irmãos e o pai, montar a própria banda. Surgia então o Forró Moral. O carro do cantor foi refinanciado e seu valor, avaliado em torno de R$ 20 mil, investido na banda. “Era um risco, porque se desse certo, toda a família sairia ganhando, mas se não desse, pelo menos eu tinha o apoio da família e não passaria pelos problemas antigos”, relembra.

Com um ano, a banda já realizava 35 shows por mês e tinha o faturamento de R$ 1 milhão e meio. O sucesso trouxe a necessidade de montar um escritório e contratar 70 funcionários. O Forró Moral ficou conhecido pelo Norte e Nordeste do Brasil. Tudo isso rebate às criticas de que seu retorno ao mercado forrozeiro tenha sido motivado por dinheiro ou crise no gospel.

Quando decidiu largar os palcos, Felipão estava à frente do grupo Forró Moral e passava pelo auge do sucesso ao ponto de perder as contas de quantos CDs e DVDs gravou. Era – e continua – o queridinho da imprensa nordestina. Chegou a ser apresentador de um programa de entretenimento, com foco musical, em uma TV local de Fortaleza-CE.

Atualmente com 33 anos de idade, Felipão volta à cena forrozeira. Após oito anos se dedicando à carreira gospel, anunciou no final de janeiro deste ano, seu retorno ao forró adotando o próprio nome como marca. “Estou retomando minha carreira procurando entender o que ele [Deus] espera de mim nesta nova fase e qual o meu papel na música nacional. Estou muito consciente que não terei a aprovação de todos, mas não tenho dúvidas que terei o amor e as orações daqueles que me amam de verdade”, afirma o cantor.” Felipão não largou a igreja e nem sua fé. “Não, não estou abandonando nenhuma das duas. Sou um homem temente a Deus e cujos princípios de vida são moldados por ele.”

Há apenas três meses de sua volta ao mercado musical, Felipão já gravou um DVD, dois CDs – produzidos por Rod Bala, baterista do Wesley Safadão; três videoclipes com participações especiais como do cantor Léo Santana e da cantora Marcia Fellipe. Foi convidado para participar de campanhas de conscientização de prefeituras, cantou o Hino Nacional na final do campeonato cearense e passou pela maratona de entrevistas em todas as emissoras de rádio, televisão e jornais impressos de Fortaleza. E essa volta promete muito mais!

Fotos: Nara Fassi